quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

CINCO EVIDÊNCIAS DE QUE VOCÊ PRECISA DE SALVAÇÃO




TEXTO ÁUREO: “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hb 9:27).


INTRODUÇÃO

Um dia a humanidade estará diante de Deus para ser julgada por Ele. Entretanto, nem todos têm essa consciência; alguns porque ainda não sabem, porque ninguém lhes ensinou sobre isso; outros porque preferem crer que isso é mentira ou que são boas demais para ir para o inferno. O fato é: independente de acreditarmos ou não, o julgamento acontecerá, e será num dia em que não sabemos, num abrir e fechar de olhos (1 Co 15:52), num momento em que ninguém espera (Mt 25:13). Neste dia, todas as nossas crenças terão sido válidas ou nos lançarão num abismo profundo.


PERGUNTA DE TRANSIÇÃO:

Se você morresse hoje, estaria preparado para enfrentar o grande julgamento, para ser julgado por Deus? Pode ser que não. Pode ser que esteja seguro por achar-se bom demais para ir para o inferno e que Deus lhe dará uma boa recompensa. Mas eu quero lhe apresentar algumas evidências que vão lhe provar que você precisa desesperadamente de salvação.


AS EVIDÊNCIAS

Primeira evidência. Nós não somos considerados pecadores por causa dos pecados que praticamos diariamente, mas por causa de um pecado maior, chamado de “pecado original”, originado na Queda do homem no jardim do Éden. Quando Adão e Eva desobedeceram a Deus, condenaram toda a raça humana (Gn 3:1-24). Assim, todos os que nasceram a partir de então, nasceram sob condenação, destituídos da glória de Deus (Rm 3:23). O pecado não é um evento, mas uma condição de toda a humanidade. Todos sem exceção nascemos perdidos e mortos (Rm 5:12).

Segunda evidência. O pecado original afastou o homem de Deus, colocou-o debaixo da sua ira e trouxe-lhe a presença do pecado e da morte (Rm 6:23). Todos nós nascemos mortos em nossos delitos e pecados. Não há quem faça o bem nem que busque a Deus. Todas as nossas justiças de Deus são como coisa imunda e desprezível (Rm 3:10-18). Não há nada que possamos fazer para reverter essa situação. Não somos capazes de cumprir a Lei de Deus, de seguir os seus mandamentos. Estamos constantemente pecando. O pecado é um crime contra Deus passivo de punição.

Terceira evidência. Os nossos pecados individuais denunciam que de fato fomos afetados pela Queda. A nossa natureza é de todo corrompida, não existe bem algum dentro de nós (Mt 15:19; Rm 7:17-19). O fato de pecarmos sempre, de não conseguirmos cumprir a lei de Deus é uma prova de que nada podemos fazer sem Deus e de que precisamos de salvação (1 Jo 3:4-9). Deus é justo em nos condenar no dia do julgamento, em nos enviar para o inferno, um lugar de tormento eterno, onde nunca mais teremos a oportunidade de nos arrepender para alcançar a vida eterna (Mt 25:41; 1 Ts 1:4-10; Ap 20:13-15; 21:8).

Quarta evidência. Como não estamos debaixo da ira de Deus por conta dos nossos pecados em primeiro grau, mas da nossa condição de pecadores herdada na Queda, os nossos pecados são apenas consequências desse mal maior. Logo, mesmo que sejamos pessoas aparentemente santas e justas aos nossos olhos, mesmo que pratiquemos o bem e façamos caridade, ainda assim estamos sob condenação, debaixo da ira de Deus, porque a salvação não é pelas obras, mas pela fé em Jesus Cristo (Jo 5:24; Ef 2:8,9; Gl 2:21; Rm 3:24; 9:16). Logo, ninguém pode se achar desculpado diante de Deus nem crer que sem Cristo poderá ir para o céu, ou que não precisa de Deus nem do céu. Assim, o destino final continuará sendo o inferno, para onde o pecador irá com todas as suas boas obras praticadas com o intuito de merecer a salvação. O apóstolo João escreveu: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1:8,9).

Quinta evidência. A ira de Deus contra o pecador está patente nas Escrituras, de modo que não existe possibilidade de alguém se considerar justo ou de não precisar de salvação (Jo 3:36; Rm 1:18; 2:6-8; 12:19). Embora Deus seja amoroso e bom, Ele não compactua com o pecado; logo, punirá o pecador e sua irresoluta desobediência. A Bíblia garante essa condenação e afirma que ela está próxima.


A SALVAÇÃO PROVIDENCIADA

Deus providencia um meio de salvação. O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida (Rm 6:23). Deus não sente prazer na morte do ímpio, por isso lhe forneceu um meio de salvação: seu único Filho, que morreu na cruz para salvar o pecador (Jo 3:16; 1 Pe 2:22-24; 3:18; 2 Co 5:21). A dívida impagável que temos com Deus foi paga por Cristo ao derramar o seu sangue. Através de Cristo somos regenerados, a ira de Deus que está sobre nós é aplacada, a paz entre Ele e nós é feita e finalmente somos com Ele reconciliados (Cl 2:13-15). Quando aceitamos a Jesus como nosso Senhor e Salvador, somos selados com o Espírito Santo e nos tornamos seus filhos (Ef 1:13). Esta salvação é unicamente pela graça de Deus, pela fé em Jesus Cristo. Não existe nada que possamos ou precisemos fazer, apenas crer quando convencidos do pecado pelo Espírito (Rm 5:1; Ef 2:8,9). Embora Deus abomine o pecado, Ele nos ama e prova o seu amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores (Rm 5:8). A fé em Jesus nos garante a vida eterna nos céus (Jo 6:68; 17:3; 1 Jo 5:11-13; Gl 6:7,8).

A salvação é agora. Deus determinou um tempo em que virá julgar a humanidade. Muitos vivem de acordo com a sua vontade afirmando que “tudo é no tempo de Deus”. mas não sabemos quando será esse tempo, quando Jesus voltará. A Bíblia não diz que devemos “esperar o tempo de Deus” para nos arrependermos, mas que esse tempo é agora, já, imediatamente: “Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação” (2 Co 6:2). O apóstolo Pedro escreveu: “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. Virá, entretanto como um ladrão, o Dia do Senhor...” (2 Pe 3:9,10). Para aqueles que desejam viver a sua vida segundo seus interesses, sem atentar para a necessidade de salvação, o Senhor diz: “Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus” (Lc 12:20,21).

Nem todos crerão. Muitos argumentam que Deus é bom demais para punir alguém com algo tão terrível como o inferno, um lugar de tormento, de fogo e enxofre, onde a alma arderá pela eternidade. Mas a Bíblia nos garante essa condenação aos ímpios, aos que se mantiveram rebeldes contra o Filho e morreram sem crer nele para a salvação (Jo 3:36). O amor de Deus inclui a sua ira e a sua indignação contra o pecado e o pecador (1 Ts 5:3; 2 Ts 1:8,9). Ao lançar o pecador no inferno, Deus está sendo justo, como está sendo misericordioso ao levar o crente para o céu para reinar com Ele (Rm 2:6-11; 9:22-24; 11:22; 1 Ts 5:9). O apóstolo João escreveu: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” (Jo 1:11,12).


CONCLUSÃO

Independente da sua ideia a respeito de Deus, de Jesus, da salvação e da eternidade, o fato bíblico inegável é que você é um pecador e está distante da glória de Deus, carente de uma salvação que somente a fé em Cristo pode lhe dar. A decisão de abraçar a fé ou não repercutirá na sua eternidade e revelará onde você irá passá-la, para onde a sua alma irá após o Juízo Final: céu ou inferno. Deus lhe diz nas Escrituras: “Ora, não levou Deus em conta o tempo da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam; porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17:30,31). Você quer comparecer diante de Deus como quem rejeitou a sua salvação ou como aqueles que o amam e esperam a sua vinda? O autor de Hebreus escreveu: “assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação” (Hb 9:28).


APELO

Se o Espírito Santo tocou o seu coração, se você reconhece que é pecador e que está debaixo da ira de Deus; se você entende que somente pela fé em Jesus Cristo pode ser salvo e que virar as costas a esta salvação é incorrer em condenação eterna, arrependa-se, aceite a Jesus como seu único e suficiente Salvador e receba de graça a vida eterna (Lc 5:31,32; At 3:19).


Mizael de Souza Xavier
22 de fevereiro de 2017.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, jamais comente anonimamente. Escrevi publicamente e sem medo. Faça o mesmo ao comentar. Grato.