segunda-feira, 1 de junho de 2015

O NEVOEIRO - Parte 8 – A verdade revelada




O baú foi levado para a igreja onde o povo se concentrou
Ávido por se libertar do mal que o assombrou
“Caros irmãos”, disse o prefeito, “Eis a nossa libertação
Finalmente estaremos livres desta perigosa maldição.”

O baú foi violentamente aberto e o livro, recuperado
Diante de aplausos e gritos, ele foi apresentado
Mas alguém na multidão gritou: “Este livro é de feitiçaria
Queimamos alguém por isso, por que nossa alma não queimaria?”

“Cale-se”, o prefeito ordenou, “Todos esperam a cura
A maldição que nos lançaram já cava a nossa sepultura
Não deve haver remorso pela bruxa que foi queimada
Que descanse no inferno aquela alma amaldiçoada.”

O padre foi convocado a ler diante da multidão
O feitiço que poderia livrá-los daquela perturbação
E ao abrir aquele livro que o Cardeal deixou ocultado
O padre caiu de joelhos diante do que lhe foi revelado.

As suas lágrimas escorreram e um forte grito deu
Ergueu as mãos para o céu e quase desfaleceu
Todos estavam atônitos sem saber o que se passava
Alguns queriam explicações, um ou outro rezava.

“O que dizes deste livro?”, o delegado quis saber
“Existe nele algum feitiço que possa nos absolver?”
Com dificuldade o padre se ergueu e tomou o livro nas mãos
“Isto aqui não é bruxaria, eu lhes garanto, meus irmãos.”

“Então nos revele o segredo, não estamos a entender nada!”
“Este livro que tenho em mãos é a santa Bíblia Sagrada!”
“Você deve estar louco”, muitos gritaram a revelia
“Este era o livro da bruxa usado para feitiçarias!”

“Se vocês não creem leiam e suas dúvidas irão tirar”
O delegado pegou o livro e começou a folhear
“Por Deus, eu não creio, é verdade. É este o Livro Sagrado”
Então o povo se deu conta de que havia sido enganado.

“Porque o Cardeal nos escondeu esse tesouro precioso
E nos fez acreditar que o seu conteúdo era maldoso?
Uma mulher morreu inocentemente clamando pelo Senhor Jesus
Grande é o nosso pecado, pesada é a nossa cruz!”

“Esperem”, disse o padre, “esta é uma Bíblia sem par
Não é escrita em Latim, mas na nossa língua popular.”
Todos se admiraram diante de tal revelação
A Bíblia escrita na sua língua de tão fácil compreensão.

Agora podiam entender o cuidado que o cardeal empregou
Em ocultar aquele tesouro que com a mulher encontrou
A Palavra de Deus proibida pela igreja em língua accessível
Agora para toda a cidade a sua leitura era possível.

Alguém, no entanto afirmou: “Continuamos com nossa desdita
Presos à maldição lançada por aquela bruxa maldita!”
“Será que não entendeste, tua mente está embotada?
Aquela mulher era inocente e morreu martirizada.”

O padre apaziguou os ânimos do povo já tão aflito
“Irmãos, ouçam o que vos digo, não entremos em conflito
Procurávamos um livro de bruxas que nos desse a solução
Mas eis que temos aquele que nos trará a salvação.”

“Vejo que não fomos amaldiçoados, mas abençoados por Deus
Que nos chama a viver em verdade os caminhos seus
De hoje e para sempre a sua Palavra vamos ler
Nossos pecados serão perdoados e abençoados iremos ser.”


CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, jamais comente anonimamente. Escrevi publicamente e sem medo. Faça o mesmo ao comentar. Grato.